Aécio nomeou irmã, primos e tio quando foi governador de Minas

Os fatos começam a atropelar o tucano bravateiro. A sujeira que ele tenta empurrar para debaixo do tapete vai sendo varrida para fora. Isso porque dados públicos publicados no Diário Oficial do Estado de Minas Gerais mostram que o candidato não sabe, ou finge não saber, a diferença entre meritocracia e o crime chamado nepotismo quando governou Minas Gerais.

Muda Mais
Muda Mais

A presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, foi chamada de “leviana” pelo adversário Aécio Neves (PSDB), durante debate na Band, ao denunciar que o tucano usou o cargo para empregar pessoas de sua família no governo mineiro.

Aécio desafiou a mostrar quem e quantos parentes foram nomeados por ele. O site Muda Mais publicou a lista e os cargos ocupados pelos parentes de Aécio na época em que ele era governador. E a lista é grande. Veja: Fernando Quinto Rocha Tolentino (primo de Aécio), nomeado, em 2007, assessor do diretor-geral do Departamento de Estradas e Rodagem (DER/MG); Guilherme Horta (primo) era assessor especial de Aécio; Tânia Guimarães Campos (prima de Aécio) nomeada, em 2008, para cargo comissionado no Poder Executivo de Minas Gerais como Conselheira; Frederico Pacheco de Medeiros (primo) foi nomeado Secretário Adjunto de Governo em 2006, e atualmente ocupa o cargo de Diretor de Gestão Empresarial da Cemig; Tancredo Augusto Tolentino Neves (tio de Aécio) ocupou o cargo de Diretor do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais em 2008; Oswaldo Borges da Costa Filho (genro do padrasto do governador) era diretor presidente da Codemig em 2006.

Irmã coordenava “grupo técnico” que definia recursos de comunicação

Um destaque entre os integrantes dessa lista é Andrea Neves da Cunha, nada menos que irmã de Aécio, que ocupava o cargo de presidente do Servas (Serviço voluntário de Assistência Social), entre 2003 e 2014. Mas ela, que é jornalista, coordenou o órgão responsável pela aplicação de recursos de publicidade do governo mineiro no mesmo período em que veículos de imprensa pertencentes à família Neves receberam verba publicitária referentes do governo do Estado.

Andrea Neves da Cunha é irma do tucano
Segundo matéria publicada na Folha de S.Paulo, o órgão, chamado Grupo Técnico de Comunicação Social, foi criado pelo decreto nº. 43.245/2003, assinado pelo tucano em 3 abril de 2003. O “grupo técnico” funcionava no âmbito da Secretaria de Estado de Governo e tinha como função “coordenar, articular e acompanhar a execução da política de comunicação social do Poder Executivo”.

O órgão auxiliava na “alocação de recursos financeiros aplicados neste segmento [comunicação e publicidade] na Administração Pública Direta e Indireta do Poder Executivo estadual”, estabelecendo as diretrizes “para a política de comunicação social”, tendo inclusive o papel de “representar à Auditoria Geral do Estado” quando houvesse gastos irregulares.

O “grupo” criado por Aécio e coordenado pela sua irmã ganha sentido com a informação de que a família do tucano é proprietária de pelo menos quatro veículos de comunicação: as rádios Arco Íris (retransmissora da Jovem Pan em Belo Horizonte), São João e Colonial, ambas de São João Del Rei (terra natal do presidenciável) e do jornal Gazeta de São João Del Rei.

Detalhe: na rádio Arco Íris, Aécio é sócio com Andrea e a mãe, Inês Maria Neves Faria. A reportagem aponta que só esta rádio recebeu R$ 210.693,00 em 2010. Durante as gestões de Aécio em Minas, os gastos com publicidade oficial aumentaram em 300%, subindo de R$ 24 milhões para R$ 96 milhões.

Por usa vez, a assessoria de Aécio disse que Andrea Neves, que agora está na coordenação de campanha do irmão, “nunca ocupou nenhum cargo no governo do Estado, tendo exercido apenas funções de caráter voluntário não remuneradas”.

Com informações do Muda Mais e Folha de S.Paulo

Fonte: Vermelho

Leave a Response