Não se deixe enganar: a verdade sobre o aumento da gasolina

gasolinaOs pessimistas de plantão estão espalhando por aí que o reajuste de 3% no preço da gasolina e 5% no preço do diesel (link is external)anunciado ontem (4) pela Petrobras vai refletir de forma catastrófica no preço final do combustível.

Vamos por partes, gente. Não é nada disso. Um reajuste de 3% nas refinarias não significa muita coisa no preço final passado ao consumidor. Em segundo lugar, graças a uma lei de 1997 sancionada por FHC, quem controla, na prática, os preços são os agentes econômicos, ou seja, os produtores ou importadores, distribuidores e postos de gasolina. Por isso a diferença (muitas vezes, gritante) de preços de um posto para outro. Nada disso depende diretamente da presidenta da República.

O dinheiro pago pelos combustíveis é repassado para produtores, usineiros, governo estadual e federal por meio de impostos. Vale lembrar que o preço dos combustíveis foi barateado ao longo dos últimos anos, o que levaria a um reajuste inevitável para que a Petrobras possa manter a sua produção.

E aí tem gente que vai espalhar boatos nas redes dizendo que o litro da gasolina vai custar R$ 4,20 e o famoso “a culpa é da Dilma”. Calma, que a gente explica:

1 litro de gasolina = 3 reais (preço médio, uma vez que há variações importantes entre regiões do país)
50 litros de gasolina = 150 reais

3% sobre 3 reais = 0,09,
ou seja, com o aumento de 3%, o litro passará a custar 3 reais e nove centavos

Portanto, teremos
1 litro de gasolina = 3 reais e nove centavos
50 litros de gasolina = 154 reais e 50 centavos

No fim, para encher o tanque, a diferença será de apenas 4 reais e 50 centavos, que os boateiros de plantão tentam vender como se fosse o preço reajustado do litro. Esse tipo de pânico é uma tentativa frustrada daqueles que não querem ver o crescimento do Brasil e pregam o cenário de “quanto pior, melhor”.

Fonte: mudamai

Leave a Response