Casa do Cantador poderá ser utilizada para eventos culturais

Foto: Glaucya Braga/GDF - Arquivo
Foto: Glaucya Braga/GDF – Arquivo

Projetos deverão ser aprovados pela Secretaria de Cultura

BRASÍLIA (30/7/14) – A Casa do Cantador abrirá as portas para produções e eventos culturais no Distrito Federal. As dependências do espaço estarão disponíveis, até 21 de dezembro de 2014, para eventos do órgão ou terceiros, mediante aprovação e solicitação prévia. Todas as agendas deverão ter entrada franca.

 

De acordo com a portaria nº 45, que regula a medida publicada no dia 6 de junho no Diário Oficial do Distrito Federal, o auditório do espaço deverá ser utilizado para shows de música, recitais, espetáculos teatrais, de dança e circo. Já as instalações da sede, localizadas no andar superior do edifício, serão utilizadas exclusivamente para atividades voltadas à cultura popular.

 

Os interessados deverão encaminhar material informativo, a ficha de inscrição e documentos, como uma carta de solicitação de pauta destinada ao secretário de Cultura do Distrito Federal, Hamilton Pereira, além de data e o espaço desejado. A lista de documentação exigida pode ser conferida aqui.

 

 

CASA DO CANTADOR – Conhecida como o Palácio da Poesia e da Literatura de Cordel no Distrito Federal, a Casa do Cantador foi inaugurada em 9 de novembro de 1986, em Ceilândia. O espaço, única arquitetura projetada por Oscar Niemeyer no DF fora do Plano Piloto, foi reinaugurada em abril deste ano.

 

Na estrutura – que recebeu R$ 1,5 milhão em investimentos durante os seis meses que esteve em obras para completa restauração – foram feitos reparos nos banheiros, bancos, redes elétrica e hidráulica, substituição do gesso do teto e a construção de uma guarita na entrada da Casa do Cantador.

 

Também foram instaladas redes de energia independentes para reduzir os riscos de incêndio, e a área externa ganhou obras de drenagem pluvial. Para garantir o acesso de idosos e pessoas com dificuldade de locomoção, o local recebeu elevadores, rampas e talude – rebaixamento de terra para criar um parapeito ao redor do anfiteatro.

 

No local, em forma de concha acústica para permitir a distribuição do som para todo ambiente, há um teatro de arena, uma cantina, três salas administrativas no térreo e oitos salas no primeiro andar para ensaios, oficinas e atividades culturais.

 

(A.S/J.S*)

Da Secretaria de Cultura

Fonte: GDF.GOV

Leave a Response