Novo sistema de monitoramento aciona PM em cinco segundos

Fonte: clicabrasilia.com.br | Foto: Divulgação
Fonte: clicabrasilia.com.br | Foto: Divulgação

 

Elaine Siqueira
elaine.siqueira@jornaldebrasilia.com.br

Donos de estabelecimentos comerciais agora podem se sentir mais seguros. Pelo menos é o que promete a Polícia Militar do Distrito Federal, que lançou o Serviço de Monitoramento e Acionamento Policial Imediato (Smapi), desenvolvido para reduzir o tempo de resposta no atendimento às ocorrências. O serviço já está em prática nas regiões administrativas do Guará, Águas Claras, Sobradinho e Gama. Segundo a PMDF, o aviso de roubo chega em cinco segundos ao batalhão responsável por meio de mensagem.

Espera-se que com o uso do sistema haja diminuição de roubos ao c omércio. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), de janeiro a setembro deste ano, foram registrados 1.924 roubos a comércio, 24% a mais que o ano anterior. A partir desses números, a expectativa é de que o Smapi reduza em até 40% a criminalidade no setor.

No Guará, 30 estabelecimentos já fazem uso do aparelho e mais de cem esperam efetuar o cadastro. Os comerciantes devem adquirir, instalar e manter, por conta própria, uma linha telefônica, bem como um sistema de discagem emergencial por controle remoto semelhante a um alarme de veículo.

Caso aconteça uma ocorrência, o cliente cadastrado aciona o botão que irá emitir uma mensagem ao aparelho celular de propriedade do batalhão, descrevendo o nome do estabelecimento e endereço.

O  serviço preventivo está sendo testado  pela primeira vez em Brasília. Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Suamy Santana, o gasto que o comerciante terá é mínimo. “ Ele pode ser  encontrado no comércio por preços que variam de R$ 80 a R$ 200”, disse.

Dono de uma pizzaria na QE 32, do Guará II, Eduardo Duarte teve seu estabelecimento assaltado duas vezes em menos de 15 dias. Durante a ação dos criminosos, havia clientes no local, assim como um de seus filhos. Eles foram ameaçados com uma faca e um revolver.

Agora, o comerciante se cadastrou e adquiriu o aparelho. “Agora, me sinto mais seguro, estou inclusive fechando um pouco mais tarde. O sistema demonstra agilidade e rapidez ”, diz Eduardo.

Na mesma região, na QE 30, Aparecida Porto, possui duas lojas de cosméticos. Ela já testemunhou cinco assaltos, dois deles em dias consecutivos. “Recebi  instruções da polícia e vou me cadastrar o mais rápido possível. Quando fui assaltada, a polícia chegou e não conseguiu nenhum rastro dos bandidos”,  lembra Aparecida que é comerciante no mesmo local há 18 anos.

Assim como o Smapi, o Sistema Sentinela é outra ferramenta de combate à violência utilizado pela polícia. Ele foi desenvolvido há três anos pela Polícia Civil.

Fonte: Da redação do clicabrasilia.com.br

Leave a Response