Programa Brasil de Todas as Telas incentivará produção audiovisual

Foto:Glaucya Braga/GDF
Foto:Glaucya Braga/GDF

Governador Agnelo Queiroz participou do lançamento da iniciativa feito pela presidenta Dilma Rousseff

BRASÍLIA (1/7/14) – A produção audiovisual brasileira receberá novos incentivos oferecidos pelo programa Brasil de Todas as Telas, lançado nesta terça-feira (1), pela presidenta Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, com a presença do governador Agnelo Queiroz. A iniciativa disponibilizará, inicialmente, recursos de R$1,2 bilhão com a meta de colocar o país entre os cinco maiores produtores audiovisuais do mundo.

 

Serão fomentadas a produção de obras cinematográficas nacionais, a capacitação profissional e a construção de novas salas de cinema. A meta é realizar 300 longas metragens e 400 obras para TV, desenvolver 450 projetos para cinema e TV, abrir 54 núcleos de criação no Brasil, além de oferecer 5 mil bolsas de capacitação.

 

“Nós estamos lançando um projeto grande, de tamanho compatível com a criatividade dos nossos produtores audiovisuais”, disse a presidenta. “Com este novo cenário, vamos transformar o Brasil num grande polo de produção audiovisual”, complementou Dilma Rousseff, acompanhada do vice-presidente, Michel Temer, e de outras autoridades.

 

“O governo federal está lançando uma nova política como incentivo à produção audiovisual, seja para filme, seja para a televisão, que vai desde ter mais recursos até a desburocratização do acesso a esses recursos, o que ocorrerá em parceria com os governos locais”, destacou o governador Agnelo Queiroz. Ele lembrou que em sua gestão foi reaberto o Polo de Cinema de Sobradinho.

 

DISTRITO FEDERAL – Presente no evento, o secretário de Cultura do Distrito Federal, Hamilton Pereira, informou que o Distrito Federal tem acompanhado o avanço no segmento registrado em todo o país. Somente em 2013, foram investidos R$ 8,9 milhões na área, o que representa 24,73% dos recursos investidos pelos editais do Fundo de Apoio à Cultura.

 

Com isso, foram contemplados 37 projetos, sendo 19 de realização de curta metragem, três de realização de série de TV, um de autoração/replicagem de DVD de curtas metragem, cinco de desenvolvimento de projeto de longa metragem, um festival de cinema e oito de produções de longa metragem.

 

“Amanhã (2), vamos assinar um termo de cooperação com a Ancine para ampliar ainda mais o número de produções na capital do país”, informou.

 

BRASIL DE TODAS AS TELAS – O programa é resultado de parceria entre a Agência Nacional do Cinema (Ancine) e o Ministério da Cultura (MinC), com a colaboração dos representantes do setor que compõem o Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual.

 

“Nós temos um cinema ousado, dinâmico e polêmico. Estamos produzindo cerca de 150 filmes por ano, algo que nunca aconteceu antes”, destacou a ministra da Cultura, Marta Suplicy, ao citar obras como Tropa de Elite e Carandiru.

 

O representante da indústria cinematográfica no Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual, cineasta Roberto Moreira, destacou que “a partir de hoje, qualquer estado brasileiro, em especial os do Norte, Nordeste e do Centro-Oeste, tem mecanismos para garantir uma produção própria. “O mesmo podemos dizer das emissoras públicas de todo o país. Só não vai produzir quem não quiser”, finalizou.

 

(A.S./I.M*)

Ailane Silva, da Agência Brasília

Fonte: GDF.GOV

Leave a Response