CUTistas mantêm vigilância na Câmara nesta terça (8)

Imagem da Internet
Imagem da Internet

Militantes da CUT, mais uma vez, participarão da reunião ordinária da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (8), para reforçarem o repúdio ao Projeto de Lei 4330. O PL regulamenta e intensifica a precarização através da flexibilização indiscriminada das relações de trabalho. A concentração para a ação será às 13h30, no anexo II da Câmara.

O PL 4330 da escravidão não está na pauta da reunião da CCJC. Mas a comissão tem mais quatro sessões ordinárias para votar o projeto. Depois, o projeto segue para o PLenário. Esse prazo foi conseguido por uma manobra regimental dos parlamentares-empresários, interessados em aprovar esse PL que promoverá um reforma trabalhista que roubará direitos e conquistas históricas do trabalhadores.

A bancada do PT, a liderança do governo na Câmara e parlamentares de alguns partidos aliados se comprometeram a barrar qualquer tentativa de votação do PL até 2015, obstruindo o processo. Apesar desse avanço obtido pela mobilização e pressão CUTista, a secretária de Relações do Trabalho da CUT, Graça Costa, avalia que é necessária a vigília permanente dos trabalhadores. “É orai e vigiai! Temos que mostrar que a classe trabalhadora está atenta aos passos dos parlamentares e não aceitará qualquer tentativa de golpe para que este projeto seja aprovado pelos empresários na Casa do povo”, afirma.

A dirigente CUTista afirma que “não podemos dar como caso vencido ainda a luta contra o projeto de lei” que possibilitará subcontratações infinitas de atividades das empresas, rebaixará salários, aumentará jornada de trabalho, promoverá desemprego e rotatividade e adoecimento de mão de obra, afetará carreiras e extinguirá concursos públicos, pulverizará e enfraquecerá sindicatos, entre outros inúmeros prejuízos.

Vídeo da Anamatra
A Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho – Anamatra produziu vídeos com artistas nacionalmente conhecidos para explicar à população os prejuízos trazidos pelo PL 4330.
Secretaria de Comunicação da CUT Brasília

Fonte: CUT

Leave a Response