Erika discute demissão em massa de vigilantes na Anatel

Crédito : Maíra Lima
Crédito : Maíra Lima

A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) esteve reunida no início da noite desta quarta-feira (18) com o presidente do Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Batista de Rezende, com assessores técnicos e com os representantes do Sindicato dos Vigilantes do DF (Sindesv), Francisco Paulo de Quadros, Elton John dos Santos e Edmilson Rodrigues, para discutir as demissões dos vigilantes da agência reguladora.

Desde o início de 2012, os vigilantes do órgão já enfrentaram duas demissões em massa. Dos 108 terceirizados que cuidam da segurança do local, 26 (todas mulheres) foram demitidas em maio passado. Outros 20 foram demitidos no começo deste mês.

A deputada se mostrou profundamente preocupada com a situação, em especial com as demissões das vigilantes do sexo feminino, que, somente em 2012, registraram perda de 36 profissionais no quadro de servidores da Anatel. “Está acontecendo uma inversão. É preciso que haja prioridade aos serviços essenciais e um plano de recolocação desses profissionais em outros contratos”, afirmou a parlamentar.

O presidente do Conselho Diretor da Anatel ressaltou que as demissões fazem parte dos cortes no orçamento em vigor por intermédio do Decreto nº 7.995, de 2 de maio de 2013, que prevê a necessidade de ajustar os limites de movimentação e empenho em decorrência da redução efetivada conforme previsão do Decreto nº 8.062, de 29 de julho de 2013. “Os cortes fazem parte da política financeira e orçamentária do Governo Federal, mas no próximo ano podemos nos readequar conforme a previsão orçamentária que for destinada para a Anatel”, explicou Rezende.

O secretário de formação do Sindesv-DF, Edmilson Rodrigues, se disse surpreso com as demissões que, conforme levantamento feito pelo Sindicato, estão acontecendo apenas no referido órgão. Ele também questionou a falta de um plano de segurança. “Todos os outros órgãos fizeram um plano de segurança e estão seguindo o protocolo para manter o quadro essencial. Eles conseguiram se adequar para não mexer no quadro funcional atual. Trata-se de uma área prioritária para manter a segurança de todos e não apenas patrimonial”, disse.

De acordo com os representantes da Anatel, o órgão está enfrentando cortes em diversos setores, mas existe uma reunião agendada com o Ministério do Planejamento. Erika Kokay se prontificou em conversar com o companheiro de longa data, o ministro Paulo Bernardo, sobre a questão, e a Anatel se comprometeu em reunir-se com a empresa terceirizada responsável pelo contrato dos vigilantes para verificar um plano de relocação dos trabalhadores em outros órgãos.

Fonte: erikakokay

Leave a Response