Vamos defender os trabalhadores do campo e fortalecer os Cutistas na Contag, diz presidente da CUT

Em encontro com dirigentes de 15 federações da Contag, Vagner Freitas disse que classe trabalhadora vive momento histórico e precisa ocupar seu espaço

Escrito por: Vanilda Oliveira e Marize Muniz – CUT Nacional

“Este é um dos momentos mais importantes da história do Brasil para a classe trabalhadora e nós temos de ocupar todos os espaços no partido, no governo e na sociedade para fortalecer a Contag e defender os direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras no campo”.

A afirmação é do presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, e foi feita nesta quinta-feira (26), durante encontro com representantes de 15 federações da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura filiados à Central.

No encontro, realizado em Brasília, Vagner Freitas fez uma análise da conjuntura política e econômica do Brasil e debateu com os dirigentes os desafios do movimento sindical no campo.

“A CUT faz parte de um projeto político de esquerda que, inicialmente, elegeu Lula o primeiro operário presidente da República e, depois, em mais um gesto de ousadia, elegeu Dilma a primeira mulher presidenta do Brasil”, destacou Vagner Freitas, que completou: “É importante fortalecermos esse projeto, que é nosso. A gente tem de entender que não ganhou o Poder e que estamos em um governo de coalização. Por isso é preciso entender qual é o nosso papel e lutar para conquistar nossos espaços e nossas reivindicações.”

A vice-presidente nacional da CUT, Carmem Foro, também dirigente da Contag, e o secretário nacional de Meio Ambiente da Central, Jasseir Fernandes, participaram da reunião com as federações da entidade.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura está entre as instituições que se empenham para garantir um modelo de desenvolvimento rural sustentável que assegure dignidade e cidadania aos trabalhadores e trabalhadoras no campo. 2014 será o “Ano Internacional da Agricultura Familiar “e já conta com a adesão da Contag. O objetivo da data é dar destaque à produção de alimentos, ao trabalho e trabalhador(a) na terra.

 

Dirigentes de federações da Contag filiadas à CUT durante reunião no DF
Dirigentes de federações da Contag filiadas à CUT durante reunião no DF

Digentes de federações da Contag filiadas à CUT durante reunião no DF

TRABALHO VITAL – Segundo indicadores do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), a agricultura familiar é responsável por 70% do fornecimento de 70% dos produtos da cesta básica dos brasileiros, índice considerado pela ONU (Nações Unidas) um exemplo para o setor.

Dados do Censo Agropecuário apontam que mais de 84% dos estabelecimentos agropecuários do Brasil são da agricultura familiar. Em termos absolutos, esse índice significa 4,36 milhões de estabelecimentos agropecuários. Apesar da grandiosidade dos números, a área ocupada pelos pequenso agricultores era de apenas 80,25 milhões de hectares, ou seja, 24,3% da área total ocupada, na época do censo (2009).

Total de 76% das terras no país estão nas mãos dos médios e grandes agricultores, enquanto apenas 24% das terras brasileiras pertencem a pequenos agricultores, mas são esses que garantem trabalho a quase 80% dos/as trabalhadores/as rurais do País.

Isso revela uma concentração fundiária e uma distribuição desigual de terras no Brasil. Se realizarmos uma média do tamanho das propriedades familiares e não familiares, teríamos, respectivamente, 18,37 e 309,18 de hectares. Um abismo muito grande entre minifúndio e latifúndio.
Fonte: CUT.

Leave a Response