Saiba como plantar uma laranjeira em vaso para pequenos espaços

A técnica permite cultivar espécies diversas mesmo em espaços pequenos. Confiras as dicas para plantar e cuidar.

Entre os dias 11 e 12 de novembro a engenheira agrônoma e docente da área de paisagismo, Roselaine Sekiya, ministrou a oficina “Pomar Doméstico – o que plantar e como cuidar” no Senac Santa Cecília, em São Paulo. Hoje o CicloVivo repassa algumas dicas ensinadas pela profissional aos interessados em cultivar espécies frutíferas mesmo dispondo de espaços pequenos.

Materiais necessários: Terra vermelha, areia, terra preta, pedra de argila expandida, calcário em pó, manta acrílica, vaso de 80 litros, pá pequena, tesoura, faca, luvas e uma muda de fruta cítrica (laranja, limão, tangerina).

Como fazer: cubra o fundo do vaso com pedras de argila expandida. Coloque a manta acrílica cobrindo toda a argila até as laterais do vaso. Acrescente, com as mesmas proporções, a terra vermelha, preta e areia – cerca de 10 pazinhas de cada tipo de terra e de areia.

Em seguida, ponha uma pazinha rasa de calcário em pó. Misture tudo. Use a marca do vaso como limite.

Faça um buraco no meio para inserir a muda. Meça a altura do buraco no vaso para encaixe da muda, cortando o fundo da muda na mesma proporção. Corte o plástico que envolve a raiz da muda e coloque-a no vaso.

Se a raiz ainda ficar muito alta, repita o processo de corte. Cubra totalmente a raiz com a mistura de terras e areia. Pressione a terra para dar firmeza.

Insira um tutor da altura do fundo do vaso até o topo da planta (o tutor pode ser uma vareta de madeira ou vara de bambu).

Cubra a superfície do vaso com as pedras de argila expandida para decorar. Então, basta regar, cuidar e esperar ela dar frutos.

Dicas para cuidar da sua plantinha

Lembre-se de colocar de 10 a 20 litros de água distribuídos em uma semana – para um vaso de 80 litros. Para adubar, prefira a opção orgânica e faça pelo menos, três vezes por ano, utilizando húmus de minhoca, esterco ou composto orgânico. “Com esse processo natural, a fruta fica mais doce e gostosa, com aquele sabor de roça. O fruto não fica tão vistoso quanto no caso de adubação química, mas tudo o que é orgânico tem um sabor mais intenso e é mais saudável”, esclarece a profissional.

Já na hora da poda: ramos secos, galhos grossos, malformados e doentes devem ser retirados. O tronco deve ser limpo frequentemente e, caso haja ataque de líquens e musgos, devem ser retirados com uma escova. Uma dica da docente é não deixar a copa muito fechada. “Se não bater sol nos ramos ela não produz frutos”, justifica.

A colheita deve ser feita com cuidado para não machucar os frutos e romper a casca. É recomendável usar cestos ou caixas de plástico para colocar os frutos colhidos e evitar derrubá-los no ato da colheita.

Redação CicloVivo com informações do Senac São Paulo.

Leave a Response